Riqueza Natural

domingo, 3 de janeiro de 2016

Anjo da guarda', diz idosa salva por lutador de jiu-jítsu após ser assaltada





Vítima teve bolsa recuperada após rapaz imobilizar suspeito em Campinas.
Ela afirma que crime deixou 'lição'; veja vídeo da ação no bairro Chapadão.



A idosa de 74 anos ajudada por um lutador de jiu-jítsu e muay thai, após ser assaltada em Campinas (SP), usou tom que mistura alívio e gratidão ao comentar sobre sobre o crime no fim da tarde de sexta-feira (1).




O suspeito foi perseguido e imobilizado por Hugo Gervásio, de 26 anos, após ter roubado a bolsa da vítima quando ela caminhava até uma farmácia do Jardim Chapadão, por volta das 18h. [vídeo abaixo]

"Ele [Hugo] foi meu anjo da guarda naquela hora, me acompanhou até o final com a esposa. Eles foram maravilhosos", explicou a dona de casa que, por receio, preferiu não ser identificada pela reportagem do G1


O casal acompanhou a idosa até 21h30, quando o caso foi registrado como roubo pelo delegado de plantão no 1º Distrito Policial, bairro Botafogo.

Durante o assalto, o suspeito empurrou a vítima e ela caiu ao chão da Rua Santo Antonio Claret. A agressão provocou um hematoma no braço esquerdo, mas ela não precisou de atendimento médico.

"Prejuízo não seria muito caso a bolsa não fosse recuperada, mas ele [suspeito] me empurrou e eu caí. Nela havia celular, R$ 90 e as chaves da minha casa. Foi o susto", falou.

Segundo ela, a ação foi tão rápida que no momento não foi possível perceber se o ladrão estava armado. "Gritou 'perdeu' e saiu correndo", contou a idosa. Testemunhas no local contaram que o suspeito carregava uma faca e, ao ser confrontado pelo lutador, a jogou para um quintal.

Aprendizado

Assaltada pela primeira vez, a dona de casa afirmou que não havia percebido nada de diferente durante a caminhada. Para ela, o caso deixou uma "lição".

"Estava subindo a rua, e ele descendo, nem imaginei. Tudo é um aprendizado, a carteira estava embaixo do braço e não pode dar chance ao ladrão", destacou.

'Achei que era o mais correto'

O lutador Hugo Gervásio explicou que passava de carro pela rua, quando flagrou o assalto. Após parar o automóvel no meio da rua, ele foi para cima do suspeito e o imobilizou. 

"Eu não pensei em nada de repercussão, só fiz algo que achei que era o mais correto no momento", avaliou.

Foram 20 minutos com os braços em volta do pescoço do assaltante. O lutador aplicou um mata-leão, nome de um golpe conhecido também como gravata. Não houve feridos na ação.

"A gente sabe que o correto não é reagir a um assalto. Mas eu estava dentro do carro e consegui avaliar se havia outra pessoa ou não com ele, o que ele tinha na mão. 

Eu o persegui por uma quadra e meia antes de parar o carro", falou Gervásio. 

Ele disse que já foi vítima de ladrões no passado e também presenciou outros crimes, o que motivou a atitude para tentar ajudar a idosa
Curiosos presenciaram a cena e apoiaram o lutador, antes da chegada dos PMs. 

Ele recuperou a bolsa da idosa e devolveu à ela. "Minha esposa ficou um pouco assustada, mas ela entendeu toda situação. Pelo menos tudo foi resolvido da melhor forma", explicou.

Prisão

Segundo o soldado Allan Pisatto, que depois prendeu o suspeito juntamente com outros PMs, o homem detido é Cacielino Rocha, de 25 anos. 

"Ele já tinha passagem anterior na polícia por tráfico de drogas quando chegou a ser preso e solto", disse o policial militar. Questionado, o preso não quis falar com a reportagem para apresentar a versão dele sobre o caso.


←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários com ofensas não serão aceitos.