Riqueza Natural

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Motorista que atropelou suecos estava a mais de 100 Km/h, diz polícia







O motorista que conduzia o carro que atropelou o casal de ciclistas sueco, na estrada de Epitaciolândia, interior do Acre, trafegava na via a mais de 100 km/h, afirmou o delegado responsável pelo caso, Mardilson Vitorino. 

O casal, que percorria o mundo de bicicleta, foi atropelado na manhã de terça-feira (15), Johanna Eklö, de 26 anos, morreu no local, enquanto Emil Böner, de 25, permanece internado no hospital, em Rio Branco. O motorista, José Ribamar Júnior, de 33 anos, prestou depoimento e foi indiciado por homicídio culposo, que não há intenção de matar.

De acordo com informações do delegado, o motorista prestou socorro às vítimas e permaneceu no local até a chegada da polícia, por isso não pôde ser preso em flagrante. Vitorino disse ainda que o rapaz que conduzia o veículo foi 'imprudente' por estar muito acima da velocidade permitida. O motorista estaria a mais de 100 km/h na via que tem velocidade máxima 80 km/h.

Esse motorista foi extremamente irresponsável ao andar nessa velocidade em uma linha reta. Ele informou em depoimento que estava no máximo a 110 km/h, mas acredito que estava bem mais rápido, ao menos 150 km/h. 

Além disso, ele disse que os ciclistas passaram na sua frente no momento do acidente, mas isso também é suspeito, já que eles foram acertados em cheio por trás. Acredito que ele tenha perdido o controle do volante por conta da alta velocidade", afirma o delegado.

Ainda muito abalado, o motorista do carro José Ribamar Júnior conversou por telefone com o G1. Ele disse que ainda está em choque e que tudo aconteceu muito rápido. Ele conta que saía de Brasiléia e ia para Rio Branco sozinho no carro, quando os ciclistas apareceram na sua frente.

"Nem sei como estou vivo aqui para falar, foi tudo muito rápido. O casal estava embaixo de uma árvore, em um local onde nem eu, nem eles poderíamos nos visualizar. 

De repente, eles surgiram na minha frente. Essa cena vai ficar por muito tempo ainda na minha memória, nem consegui dormir ainda, tomei medicamentos para tentar me acalmar", conta o motorista.

O corpo de Johanna Eklö ainda está no Instituto Médico Legal (IML), em Rio Branco. O secretário de Polícia Civil no Acre, Carlos Portela, informou que o Estado já entrou em contato com a embaixada sueca, localizada em Manaus, que deve ficar responsável pelo translado do corpo.

 "Todos os processos que nos cabiam foram feitos, agora estamos aguardando a embaixada sueca resolver a questão do translado do corpo e também do sobrevivente. Eles que resolvem tudo, porque que eles que têm essa governabilidade", destaca.

De acordo com diretor clínico do hospital, Giovani Casseb, Böner deve ficar internado ainda por uma semana. "Ele teve uma contusão cerebral, mas o procedimento não é cirúrgico e sim clínico", enfatiza.

Entenda o caso

O casal de ciclistas sueco, Johanna Charlotte Eklö, de 26 anos e Emil Böner, de 25, foi atropelado por um carro, na manhã de terça-feira (15). A mulher morreu no local, enquanto Böner foi encaminhado com fraturas expostas e traumatismo craniano para o Hospital de Urgência e Emergência, em Rio Branco.

O casal fazia tour de bicicleta pelo mundo e mantinham um site em que compartilhavam fotos dos locais que passavam e histórias de pessoas que encontravam em suas viagens. Na tarde desta terça-feira (15), um internauta chegou a anunciar o acidente na página oficial do casal no Facebook

Motorista que atingiu casal estava em alta velocidade, diz polícia (Foto: Reprodução/Facebook)

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários com ofensas não serão aceitos.