Riqueza Natural

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Amigos e parentes se despedem no RJ de irmãs mortas em Paraty








Talita e Raquel Amancio eram bibliotecárias a amavam viajar, dizem amigos.
Pais são vendendores de doces e criaram 3 filhos formados em faculdades.


Duas vítimas do acidente que deixou 15 mortos em Paraty, no domingo (6), foram enterradas por volta das 16h desta terça-feira (8), em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Mais de 100 amigos e parentes das irmãs Talita e Raquel Amancio foram no Cemitério Vila Rosali para se despedir.

As duas eram bibliotecárias e amantes da literatura, assim como a amiga delas, Tatiane de Assis Albuquerque, também enterrada nesta terça, no Caju, Zona Portuária do Rio.
Com dez anos de diferença – Raquel tinha 41 anos e Talita, 31 –, costumavam ir a Paratypara frequentar a Feira Literária Internacional de Paraty (Flip). 

O gosto pela cidade as levou a passar o feriado lá novamente. Um simples passeio às praias de Trindade, no entanto, terminou em tragédia.

                               Tatiane Albuquerque era amiga de Raquel e Talita
                                 Amâncio e também morreu no acidente em Paraty
                                      (Foto: Reprodução / Facebook)

"Elas estavam passeando, foram aproveitar o feriado", afirmou, aos prantos Isabela, cunhada das irmãs.

Os pais são moradores da comunidade Vale da Simpatia, em Vilar dos Teles, e trabalhavam como vendedores de doces para criar os três filhos, todos com ensino superior. Talita e Raquel eram formados em biblioteconomia e Leônidas é engenheiro.

Marilia Amaral de Oliveira, amiga de Raquel desde 2003, afirma que ficou chocada com a morte violenta. "Ela era um amor de pessoa, que procurava sempre unir a equipe".




Talita morava atualmente em Petrópolis, na Região Serrana, mas já viveu em Valença, sempre como bibliotecária.

Paixão por viajar

"Pelo menos ela realizou o sonho, que era conhecer Londres. Ela viajou com a irmã. Ela era uma pessoa muito gente boa", contou Erlon Vocente Souza, instrutor de tecnologia da informação.

Em um post no Facebook, outra amiga comenta a paixão das duas por viagens. "L - U - T - O --- Paraty. 

E na curva de Trindade, minhas amigas Raquel Amancio e Talita Amancio nos deixaram fazendo o que mais amavam: VIAJAR. Dois novos anjos estão chegando no céu. 

Que o Criador conforte todas as famílias daqueles que também partiram para uma nova viagem.", diz a mensagem.


Raquel Amancio realizou o sonho de conhecer Londres, conta amiga (Foto: Reprodução / Facebook)

Em nota, o Sistema Firjan lamentou a morte da colaboradora Talita Amancio de Souza. Ela atuava como bibliotecária no setor de Educação Profissional do Senai Petrópolis desde junho. De 2013 a 2015, trabalhou no Senai Valença.

Identificados

Foram identificados 12 dos 15 mortos no acidente. O reconhecimento dos outros depende da chegada de parentes. Como a maioria é turista, as famílias precisam viajar desde a cidade de origem e, por isso, segundo os legistas, o processo será demorado.

"Peço até que as pessoas que vierem aqui fazer a identificação tragam todos os documentos que tiverem das vítimas, para que a gente possa fazer o confronto, para poder identificar cada uma delas. 

A idade variando entre 20 e 30 anos, são de jovens. Tem alguns idosos, mas a maioria são jovens" disse uma funcionária do IML à reportagem da TV Globo.
Além dos 15 mortos, o acidente deixou dezenas de pessoas feridas — o estado de saúde de cinco delas é grave. 

Inicialmente, a prefeitura informou que 66 haviam se machucado, corrigiu para 58 nesta manhã, mas voltou atrás no início da tarde, atualizou para 66, e, até a última atualização desta reportagem, tinha modificado o número para 62 feridos.

Os sobreviventes estão recebendo atendimento no Hospital Municipal São Pedro de Alcântara, em Paraty, em dois hospitais de Angra dos Reis (RJ), outro em São Gonçalo (RJ) e também em unidades médicas de Caraguatatuba e Ubatuba, no litoral norte de São Paulo. 

Entre os feridos estavam turistas paulistas e cariocas.
Pelo Facebook, a Prefeitura de Paraty divulgou uma lista com os nomes das vítimas:
InvestigaçãoO ônibus partiu por volta das 12h10, do Centro de Paraty, e tombou após cerca de 30 minutos de viagem.

De acordo com a Polícia Civil, o motorista perdeu o controle do veículo devido a uma falha no freio e caiu em uma ribanceira de cerca de 50 metros. A estrada, que funciona em mão dupla, chegou a ficar fechada por cerca de duas horas e teve uma das faixas bloqueadas até o fim do dia, quando o veículo foi retirado.

Um inquérito foi aberto para apurar também se havia superlotação.
O ônibus pertencia à empresa Colitur e fazia uma linha geralmente utilizada por turistas que aproveitam o sol nas praias de Trindade e voltam para o Centro de Paraty no fim do dia, conforme informou o prefeito de Paraty, Carlos José Gama Miranda, o Casé.

Procurada pelo G1, a Colitur divulgou uma nota oficial sobre o acidente. Confira:
"A Colitur lamenta profundamente o ocorrido e informa que está apurando as causas do acidente e prestando todos os esclarecimentos às autoridades. Informa também que está prestando todo o apoio às vítimas e aos familiares das vítimas fatais".


O acidente aconteceu em um local conhecido como 'Morro do Deus Me Livre', na estrada que liga o Centro a Trindade (Foto: Reprodução/Globo News)

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários com ofensas não serão aceitos.