Riqueza Natural

sábado, 18 de abril de 2015

Irmã diz que família não tinha contato com noivo de Amanda Bueno





Valsirlândia Lopes Sena foi ao IML de Nova Iguaçu liberar o corpo da jovem.Filha de dançarina de funk, de 11 anos, perdeu o pai no início do ano.


A irmã da dançarina de funk Amanda Bueno, esteve no Instituto Médico-Legal de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, na manhã deste sábado (18), para pedir a liberação do corpo da jovem de 29 anos, que será enterrada em Goiás, seu estado-natal. Valsirlândia Lopes Sena negou que soubesse que a irmã era vítima de violência doméstica por parte do noivo Milton Severiano Vieira, conhecido como Miltinho da Van.

Ela contou que a família nunca esteve envolvida em casos de violência doméstica. "Tanto eu quanto a minha irmã evitamos contar para a nossa mãe assuntos de relacionamentos devido ao estado de saúde frágil que ela tem", disse Valsirlândia.

Cícera Alves de Sena, que adotou o nome artístico de Amanda Bueno, foi morta pelo noivo na tarde de quinta (16), na casa onde o casal vivia, na Posse, em Nova Iguaçu.Imagens de câmeras de segurança da residência mostraram o momento em que ela foi brutalmente agredida e levou tiros no rosto. 
Sobre Milton, a irmã de Amanda contou que eles estavam juntos havia seis meses, mas ela não costumava comentar detalhes sobre o relacionamento com o controlador de linhas de van com a família. "A gente não conhecia o Milton. Ninguém chegou a conhecê-lo".
Ainda assim, Valsirlândia afirmou que o relacionamento da família com Amanda era muito próximo, principalmente com a filha da dançarina, Emily, de 11 anos, fruto de um relacionamento anterior. “A filha amava incondicionalmente a mãe e elas tinham um relacionamento muito bom. Apesar da distância, elas se falavam todo dia”.
Filha fica órfã
A última vez que Valsirlândia viu Amanda foi no mês de fevereiro, quando a ela viajou à Goiás para o enterro do pai de Emily. A jovem veio morar no Rio de Janeiro para trabalhar como dançarina de funk, em um mercado que considerava mais promissor.
“Ela morava no Rio há três anos em busca de um sonho, para dar uma qualidade de vida melhor para a mãe e para a filha”, contou a irmã.

Valsirlândia lembrou que a família teve a confirmação da morte pela imprensa. “A família recebeu a notícia, mas não tínhamos a confirmação que era ela. Só tivemos mesmo à noite, no noticiário.”
Mãe em 'choque'
A irmã relatou ainda que a mãe da vítima pensou em vir ao Rio, mas não teve condições. “A mãe não pôde vir liberar o corpo porque está em choque, ela está traumatizada.”
O corpo de Amanda foi liberado e vai neste sábado para Goiás onde será enterrado na cidade de Trindade, neste domingo (19). 

Valsirlândia pediu que o responsável pela morte da irmã seja punido de maneira exemplar. “Agora nós só queremos justiça”.
Milton Severiano Vieira está preso na Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense, em Belford Roxo. Ele admitiu o crime e disse que teve um "surto", segundo o seu advogado. Ele deve ser transferido para o Complexo Penitenciário de Bangu este sábado (18).




←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários com ofensas não serão aceitos.