Riqueza Natural

sexta-feira, 26 de julho de 2013

O ritmo Lambada no Brasil.




Lambada é um ritmo brasileiro resultante da fusão de ritmos já existentes no Brasil como o Forró, na região Nordeste e o Carimbó, da região Amazônica,e outros ritmos da América Latina como: a Cumbia e o Merengue.
A Lambada veio descendo o Nordeste até chegar às areias de Porto Seguro, cidade localizada ao sul do estado da Bahia.
Cercada por uma natureza quase inexplorada e habitada por um povo muito criativo e alegre, estes elementos deram à lambada a sensualidade e o vigor. 
Necessários para encantar o mundo, a qual inicialmente era dançada nas areias das praias, em frente às barracas, durante o dia e a noite, passando mais tarde para os salões.
A sua consagração nacional foi após o grande sucesso,na França, do grupo Kaoma, em 1989,com a música Chorando se foi, uma adaptação para a Lambada.,
feita pela cantora Márcia Ferreira em parceria com José Ari, de um ritmo folclórico andino, a Saya, de autoria de Ulisses,Gonzalo e Hermosa autores bolivianos.
No início da década de 90 do século XX ,a Salsa marcou presença em alguns países da Europa,assim como em cidades dos Estados Unidos, aproveitando o estouro da lambada,dança que deu origem a várias produções cinematográfica, graças à sensualidade de seus movimentos.
Hoje, observa-se que a salsa manteve-se firme e forte na Europa,fazendo crescer o número de adeptos e de casas especializadas em ritmos latinos.
Enquanto isso, a lambada perdeu o fôlego, passando a figurar apenas como modismo,
tanto que,atualmente, é praticada apenas por amantes inveterados.
A lambada como música saiu de moda cedendo lugar para outros ritmos latinos ,mas a vontade de dançar de muitos simpatizantes daquele ritmo não morreu com o enterro da mesma pelos disc jockeys.
A frase de nosso grande mestre de cerimônia Tio Piu, ex-diretor artístico da Ilha dos
Pescadores (Rio de Janeiro),encerra uma grande verdade:
Enquanto o Lambadeiro viver a Lambada jamais morrerá.
Atualmente,temos a lambada sendo dançada ao som do Zouk, ritmo este originário da Martinica, cantado na sua maioria em creòle,dialeto francês, 
Este ritmo é o que mais se aproxima da nossa lambada, posto que esta última sofreu influências do zouk em sua formação. 
Desde a época que estourou a lambada, o zouk já era executado em vários países da Europa e América Central. 
É um ritmo,realmente fascinante, sua cadência enseja muito romantismo,principalmente quando se trata do Zouk Love.O próprio nome já diz tudo:É uma verdadeira "Festa do amor" ,é puro romantismo para nenhum Latin Lover botar defeito. 
A lascívia da lambada cedeu lugar para a sensualidade refinada do zouk. Na Martinica ,assim como em Guadeloupe foi criado para este ritmo uma dança.
Aqui,no Brasil,primeiro chegou a música e a tradução em termos de movimento ficou a cargo dos dançarinos que viram no zouk uma possibilidade de manter a nossa Lambada viva.
Por sua estrutura melódica e harmônica diferenciada, a lambada de outrora sofreu alterações incorporando novos passos,formas e,dinâmicas diferentes.
Surge então o movimento zouk no Brasil. Hoje muito forte no Rio de Janeiro,São Paulo,Belo Horizonte e Brasília, ganhando força novamente em Porto Seguro e muitas outras cidades do Brasil e do mundo.


←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários com ofensas não serão aceitos.