Riqueza Natural

segunda-feira, 1 de julho de 2013

As mulheres estão bebendo em excesso!




Segundo uma nova pesquisa, as mulheres nascidas após a Segunda Guerra Mundial são mais propensas a cair na bebedeira do que as nascidas em décadas anteriores.
A nova revisão de estudos descobriu que as mulheres americanas nascidas pós-1945 têm maiores taxas de bebedeira do que suas antepassadas, e as taxas de abuso do álcool das mulheres estão se aproximando da dos homens.
No entanto, o estudo não encontrou os mesmos efeitos na Europa ou na Austrália. Qual é a explicação para esse fenômeno?


“Após a Segunda Guerra Mundial, o papel das mulheres mudou. Mais mulheres entraram na força de trabalho, mas também continuou se esperando que fossem boas mães e esposas”, explica o terapeuta Paul Leslie Hokemeyer. “Então elas usam o álcool como um mecanismo de enfrentamento, pois é facilmente disponível e socialmente aceitável”.
Sim, é possível que as mulheres estejam bebendo mais porque entraram no mercado de trabalho, mas ainda são confrontadas com as tensões de um “segundo turno” em casa. E talvez as mulheres europeias e australianas não enfrentem o mesmo estresse porque têm redes de segurança social melhores.
Mas, também é possível que se embebedar simplesmente tenha se tornado mais aceitável para as mulheres nos anos desde a Segunda Guerra Mundial. E, enquanto pode-se dizer que isso é uma consequência negativa do feminismo, pode ser apenas um efeito colateral de uma maior igualdade.
É uma coisa boa para as mulheres sentirem menos pressão para ser mulherzinhas do que costumavam, e serem capazes de ir a bares com os seus amigos sem serem julgadas. Se isso leva a bebedeira, não é um argumento para um retorno aos tempos antigos; significa apenas que alcoólatras vêm em todos os gêneros.
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários com ofensas não serão aceitos.