Riqueza Natural


domingo, 15 de outubro de 2017

Costureira de 67 anos relata angústia ao descobrir HIV: 'não pensei na camisinha'



té pouco tempo atrás, a costureira Maria Rita Alves Lemes, de Ribeirão Preto (SP), considerava ter chegado à fase mais tranquila de sua vida. Mas, aos 67 anos, com três filhos e divorciada, o que ela menos imaginou foi ser diagnosticada com HIV na terceira idade.
"Não tive cuidado, porque não pensei na camisinha. Quem tinha talvez nem sabia que tinha", conta.
O alerta de Maria Rita se traduz nos números da transmissão do vírus da Aids entre idosos. Os casos subiram 60,6% em São Paulo entre 2007 e 2015. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, a incidência subiu de 3,3 para 5,3 casos para cada cem mil habitantes nesse período.
Uma estatística que encontra explicação num traço de comportamento comum entre os mais velhos que exaustivamente gera alerta entre as autoridades médicas: a falta do preservativo na relação sexual, de acordo com a coordenadora do Programa DST/Aids de Ribeirão Preto, Lis Neves.
"Observamos que os idosos estão saindo mais, aproveitando a vida um pouco mais, estão se divertindo mais. Isso associado aos estimulantes sexuais, e os idosos de um modo geral não têm o hábito da prevenção em relação ao HIV", afirma.
Após a menopausa, de acordo com ela, a utilização de gel é importante e evita ferimentos que podem colocar o organismo em risco. Além disso, a coordenadora recomenda aos pacientes fazer o exame. "Sempre que for possível faça um teste de HIV ao menos uma vez na vida."

Foi uma armadilha'

Maria Rita usa medicações diariamente contra o HIV, mas diz levar uma vida normal, sem efeitos colaterais. Mas ela jamais esquece a angústia que sentiu quando foi diagnosticada, graças a uma doença oportunista. "Foi muito difícil, eu só chorava, chorava, por uns meses não adiantava você falar nada pra mim", conta.
A costureira, que costumava ter uma vida sexual ativa, confirma não ter se cuidado quando era preciso e acabou tendo que conviver, na terceira idade, com algo que nunca imaginou.
"Foi uma armadilha, porque eu jamais pensei em camisinha, nunca tinha pensado em camisinha. (...) É uma coisa assim que você tem que acordar", conta, sem querer culpar um ou outro parceiro pelo que aconteceu.
Assim que descobriu o vírus, iniciou o tratamento com remédios e garante ter uma vida saudável, apesar de ter preferido nunca mais ter tido parceiros. "Quanto mais cedo você descobrir, mais chance você tem de começar a tomar o remédio e sua imunidade melhorar."
Ela confirma que a falta de uso do preservativo é um hábito comum entre pessoas de sua idade. "Tem muita gente que não acredita que essa camisinha vai fazer algum efeito, e muita gente diz que não gosta."
Com a lição aprendida, Maria Rita agora usa seu caso de exemplo. Para quem caiu na armadilha, a dica é não desanimar. "Levantar a cabeça, começar a tomar os remédios direitinho", diz.
Para os demais, velho ou novo, vale o alerta básico, mas sempre importante. "Hoje encho o quarto do meu neto de preservativos

Bandidos sequestram médico na UPA da Maré para socorrer traficante baleado


Um grupo de bandidos armados sequestrou um médico na madrugada deste domingo dentro da UPA do Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio. O profissional foi obrigado a entrar numa ambulância, que foi roubada pelos criminosos, para acompanhar a transferência de um traficante baleado para outra unidade de saúde. A polícia suspeita que o bandido tenha sido levado para um hospital clandestino do tráfico. O episódio está sendo investigado pela 21ª DP (Bonsucesso).
O caso ocorreu por volta de 1h deste domingo. Cerca de 50 criminosos invadiram a UPA da Maré e exigiram que os profissionais atendessem um bandido que tinha sido baleado em um dos braços. O tiro atingiu uma artéria e seu estado de saúde era extremamente grave. Como o ferido precisava de uma cirurgia, os médicos informaram que seria necessário transferi-lo para outra unidade de saúde. Os traficantes, no entanto, queriam levá-lo para outro local, possivelmente um hospital clandestino, utilizando a ambulância da UPA, o que não foi aceito pelos profissionais.
Os criminosos retiraram o motorista da ambulância, um deles vestiu seu jaleco e assumiu a direção do veículo. Como o estado de saúde do paciente era extremamente grave, levaram um médico junto. O profissional foi liberado pelos bandidos por volta das 7h deste domingo, na Baixada Fluminense. Já a ambulância foi deixada na UPA da Maré por volta das 11h30.
O motorista da ambulância prestou depoimento na 21ª DP. Ele afirmou que estava de plantão na UPA do Engenho Novo quando recebeu uma ordem da adiministração para ir até a unidade da Maré, onde havia um baleado para ser transferido. Ao chegar na UPA, segundo o motorista, os criminosos tiraram dele as chaves da ambulância e seu jaleco, e entraram no veículo para transportar o criminoso baleado. Ainda de acordo com o relato, o médico foi obrigado a entrar na ambulância, que tinha GPS. O veículo será apreendido e passará por perícia. O médico ainda será ouvido.


A Polícia Civil suspeita que o baleado seja Thiago da Silva Folly, o TH, um dos chefes do tráfico no Complexo da Maré. A polícia acredita ainda que o traficante tenha sido ferido numa troca de tiros com policiais militares do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE) na Avenida Brasil, altura de Bonsucesso, também na Zona Norte do Rio.
Os agentes faziam uma blitz na pista sentido Centro quando criminosos armados que estavam em um Renault Logan preto desobedeceram a ordem de parada e atiraram contra os policiais. Houve confronto e um PM foi atingido na barriga. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Bonsucesso. O militar foi operado e não corre risco de morte. Durante o cerco aos criminosos, uma equipe do 22º BPM (Maré) apreendeu um fuzil calibre 762 que foi abandonado na saída 9B da Linha Amarela. A arma apreendida pela polícia tem a inscrição “Tropa do TH”.

Fátima Bernardes volta de férias para casa cheia de amigos dos filhos




Fátima Bernardes voltou das férias curtidas na Europa ao lado de uma amiga com uma recepção e tanto: a apresentadora do Encontro com Fátima Bernardes chegou no Rio de Janeiro, neste domingo (15.10), e encontrou sua casa cheia com os amigos dos trigêmeos Laura, Beatriz e Vinícius, frutos de seu casamento com William Bonner.

Chegar das férias e encontrar a casa assim é bom demais. #amigos #voltemsempre", escreveu a jornalista na legenda da selfie em grupo.

Goleiro morre após choque com colega de equipe no futebol indonésio




Um goleiro morreu neste domingo depois de se chocar contra um jogador de seu próprio time em partida pela liga indonésia. Choirul Huda era ídolo do clube Persela Lamongan, cuja camisa defendia desde 1999. Em um lance na área, o arqueiro correu para rebater a bola e colidiu contra o brasileiro Ramon Rodrigues, que tentava afastar a bola do gol. A partida, transmitida ao vivo pela "TV One", foi interrompida em função da queda dos dois esportistas.


Huda chegou a levantar a cabeça, mas logo levou as mãos à boca e deitou no gramado. Os paramédicos correram para colocá-lo em uma maca e levá-lo ao hospital. Um deles contou ao "Surya" relatou que o homem de 38 anos estava consciente e reclamava de dores no peito. A caminho da unidade de saúde, ele desmaiou e a situação ficou crítica.
No Hospital Regional Geral de Lamongan, Huda recebeu os cuidados médicos, mas não resistiu. Ele foi declarado morto por volta de 17h (8h em Brasília). Os companheiros de equipe e adversários do Semen Padang ficaram abalados com a notícia. Vários terminaram o jogo e seguiram para a unidade de saúde. O técnico Aji Santoso confirmou a morte.
"A morte de Choirul Huda nos afetou com força", destacou o treinador. O médico responsável pelo atendimento explicou que a morte ocorreu em decorrência de traumas na cabeça e no pescoço do goleiro.
O clube decretou luto e homenageou o jogador no Twitter. Jornais internacionais frisam que Huda era muito popular entre os fãs do Persela, único time de sua vida.

Proxima  → Página inicial