Riqueza Natural


segunda-feira, 5 de março de 2018

Suspeita de matar filha em Itapetininga colocava papel na boca da menina para abafar gritos, relata babá


Crime ocorreu na casa onde criança de 5 anos morava. Segundo a babá, um boletim de ocorrência contra o casal foi registrado em 2017. Pais estão presos preventivamente.






Uma babá que trabalhou na casa de Débora Rolim da Silva e Phelipe Douglas Alves, presos no sábado (3) suspeitos de espancarem e matarem a filha Emanuelly Aghata da Silva, de 5 anos, relatou à TV TEM que a menina era agredida constantemente.

Segundo ela, que prefere não se identificar, a mulher chegava até a colocar papel na boca da criança para que ela não gritasse.

Um dia fui trabalhar e ela estava com o olho roxo. Porém, quando perguntei o que tinha acontecido, ela disse que tinha caído. Foi então que a irmã mais velha contou que a mãe havia enchido a boca dela [Emanuelly] com papel para que ela não gritasse e bateu com o guarda-chuva no olho dela", afirma.

A babá diz que trabalhou na casa por três meses, de novembro de 2016 a janeiro de 2017. De acordo com ela, as agressões começaram a ser notadas quando foi dar banho na menina e viu marcas roxas em suas costas.

"Ela preferia tomar banho sozinha, mas um dia decidi dar banho nela e vi umas marcas roxas nas costas. Perguntei o que tinha acontecido e ela disse que tinha caído. A mãe dizia a mesma coisa. Porém, um dia, a irmã mais velha contou que a mãe batia nela, disse que pegava a 'Manu' pelas pernas e batia com a cabeça dela na parede. Algumas vezes ela não queria pentear o cabelo, porque era dolorido de tanto que a mãe batia e puxava o cabelo dela", conta.

A avó materna, Irene de Jesus, também afirma que chegou a presenciar as cenas de agressão e tentou cuidar da criança, mas não conseguiu pegar a guarda da neta.

“Um dia fui à casa deles e o pai [Phelipe] estava batendo nela durante o banho. Falei para pararem, mas me disseram: ‘tem que educar’. Ele estava batendo nela com cinto. Às vezes via marcas roxas nela [criança] e ela [Débora] dizia que a menina tinha caído, mas sempre suspeitei que fosse mentira. Até tentei pegar ela para criar, mas não consegui”, lamenta.

Denúncia
Como os hematomas não paravam de aparecer, a babá resolveu denunciar na Polícia Civil os pais por maus-tratos. Ela afirma que chegou a enviar vídeos e fotos comprovando as agressões ao Conselho Tutelar, postou nas redes sociais e registrou um boletim de ocorrência em janeiro de 2017.


ÚLTIMO ADEUS! FERNANDA MONTENEGRO E FAMÍLIA DE TÔNIA CARRERO SE DESPEDEM DA ATRIZ



O corpo da atriz Tônia Carrero foi cremado em uma cerimônia fechada para a família e amigos na tarde desta segunda-feira (5), no Memorial do Carmo, no Caju, Zona Portuária do Rio. Entre os presentes estavam o filho da atriz, o também ator Cecil Thiré, os netos Carlos e Luísa Thiré e a atriz Fernanda Montenegro. Ícone da TV brasileira, a atriz morreu aos 95 anos, na noite do último sábado (3), ao sofrer um ataque cardíaco durante uma cirurgia.

Tônia recebeu a última homenagem da família e dos amigos no domingo (4) durante o velório realizado no Theatro Municipal. Entre os presentes estavam: Cecil Thiré, Ney Latorraca, Nicette Bruno, Beth Goulart, Sandra Pêra, Sylvia Bandeira, Julia Lemmertz, Antônio Pitanga e Marco Nanini.

A atriz estreou no teatro em 1949 na peça Um Deus Dormiu Lá em Casa, ao lado de Paulo Autran. Sua última apresentação foi em 2007 com Mauro Mendonça na peça Um Barco Para o Sonho.




sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Músico Renato Guima e filha morrem em queda de árvore sobre carro na BR-262, em Manhuaçu



 O músico mineiro Renato Guima, 57 anos, e a filha Renata Rodrigues, 29 anos, morreram em um acidente na BR-262, em Manhuaçu, na Zona da Mata, nesta quinta-feira (4). Segundo o Corpo de Bombeiros, uma árvore caiu sobre o carro em que estavam.

Renato dirigia ao lado da filha e foram atingidos gravemente, morrendo na hora. A mulher do artista e mãe de Renata também estava no carro e foi hospitalizada. Ela foi socorrida consciente e com um corte na região frontal da cabeça, conforme a equipe de resgate.



O Corpo de Bombeiros informou que o acidente ocorreu por volta das 15h, no sentido Belo Horizonte, na altura do Km 51, perto do distrito de Realeza.

Outro carro que vinha no sentido oposto não conseguiu frear e atingiu a árvore caída na pista. Um homem de 50 anos e a mulher de 39 ficaram feridas. Todos foram encaminhados para o Pronto-Atendimento de Manhuaçu.

Renato Guima era cantor, compositor, violonista, produtor e diretor artístico e musical. Nascido em Belo Horizonte, integrava as bandas Lombinho com Cachaça e Dance Club. Nas redes sociais, amigos da família lamentaram a perda.

A Polícia Civil informou que os corpos estão no Posto Médico Legal de Manhuaçu, aguardando a retirada pela família. Ainda não há informações sobre velório e enterro.


Ivete Sangalo revela no 'Estrelas do Brasil' seus cuidados durante a gestação


Talentosa, linda e a mil por hora! Quem acompanha o trabalho da gravidíssima Ivete Sangalo percebe que a diva tem energia de sobra, mesmo durante a gestação de gêmeos. Na reta final da gravidez, a cantora continua surpreendendo por causa da beleza e boa forma.


No Estrelas do Brasil, gravado em Salvador, Ivete recebeu Angélica em sua casa para mostrar a rotina de treino que mantém o seu corpo sarado. A apresentadora embarcou no clima e colocou uma barriga fake para acompanhar.



Além da malhação em casa, Ivete continua firme e forte em outras atividades que fazia antes do barrigão. Para começar, a diva mantém uma alimentação balanceada, com a orientação de Daniel Cady, nutricionista e seu marido. Cady conta a diferença de Ivete nessa gestação para a de Marcelo, primogênito do casal:

Na primeira vez, ela me infernizava para fazer leite com achocolatado em pó, queria sorvete, essas coisas... Desta vez, teve um período que desejou um pouco de açaí, mas só. Ela está muito focada, segurando a onda, bem tranquila e dona de si".

Quando está em Salvador, Ivete treina todos os dias. Ela deve sentir limitações naturais da gravidez, mas, quando pensa que o que faz hoje vai lhe beneficiar no futuro, a motivação dela vem dobrada".


Costumo dizer que o trabalho com Ivete é um trabalho com atleta de elite. A vemos correndo, pulando... É um trabalho muito físico, trabalho de palco. Ela se movimenta muito. Então temos com ela os mesmos cuidados que temos com um atleta profissional".


Ivete também mantém os cuidados com Milena Almeida Mercês, fisioterapeuta dermatofuncional e dona de uma clínica em Salvador, na Bahia. A profissional, que cuida de Ivete há oito anos, é responsável pelas sessões de drenagem linfática. Milena fala sobre os benefícios desse cuidado, principalmente para mulheres grávidas:

A Ivete tem feito drenagem quase diariamente porque a gente percebe o benefício. Com isso, não está retendo líquidos. Ela quase não está engordando, está bem sequinha. As pessoas não têm noção dos benefícios da drenagem!".



Após 2 anos de luta contra o câncer, menino que mobilizou redes sociais pedindo doação de sangue morre no Acre



Após dois anos de luta contra a leucemia, o pequeno Francisco Gabriel Piyko Furtado, de 4 anos, morreu na manhã desta sexta-feira (5) no Hospital da Criança, em Rio Branco, onde estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde o dia 29 de dezembro.

Gabriel foi diagnosticado com leucemia em outubro de 2015, aos 2 anos. E essa foi a segunda vez que ele havia tido recaída em menos de 1 ano.

A criança estava internada desde o dia 13 de dezembro e no dia 29 apresentou piora no quadro clínico e precisou ser levado para a UTI. De acordo com a amiga da família, Mel Silva, de 22 anos, ele estava com as plaquetas muito baixas e não resistiu.

“Segundo os médicos, o Gabriel estava com muita água no pulmão e as plaquetas também estavam muito baixas. A mãe dele está muito abalada e não consegue nem falar”, contou Mel.

O corpo do menino vai ser levado, na manhã de sábado (6), para o município de Marechal Thaumaturgo, onde ele nasceu.

Na segunda-feira (1), a família e amigos do pequeno Gabriel chegaram a mobilizar as redes sociais pedindo doação de sangue do tipo O+ no nome dele, que já apresentava quadro baixo de plaquetas.

Em maio do ano passado, a família do menino também fez campanha na internet para conseguir um doador de medula. Na época, Gabriel tinha acabado de receber a notícia do retorno da doença, após mais de um ano de tratamento bem-sucedido na capital acreana.
Proxima  → Página inicial